Plus500

19.4.16

Malvado não é o favorito, mas foi essencial ao Brasil.

E foi aqui que tudo começou... hoje vi esta emblemática foto publicada em minha página pelo Facebook, que me fez voltar à primeira passeata, convocada como o "Dia do Basta", bem antes da população ir para as ruas protestar contra o aumento de 20 centavos no preço das passagens de ônibus. 



Recordo que não havia mais de 200 participantes, o encontro foi marcado em frente à Candelária, estávamos eu, Marie Simone, Fred d'Orey, sua esposa e o filho Martim... de lá saímos pela Presidente Vargas em direção à Central do Brasil. As pessoas olhavam incrédulas pelas janelas de seus escritórios, de dentro da condução voltando para casa. Hoje chegamos a este ponto inimaginável 3 anos atrás! Sinto-me recompensado, e agradecido aos amigos que também se manifestaram durante todo este tempo.

Desde 2013 fizemos campanha contra a reeleição da presidente, contra o estelionato eleitoral usando verbas de propinas desviadas da Petrobras, contra as urnas eletrônicas, as falsas pesquisas de intenção, contra o voto obrigatório, os empréstimos fraudulentos do BNDES a "ditadores amigos" na América Latina e África, ao aparelhamento de estatais, controle do legislativo e algumas instâncias do judiciário... salve o grande juiz Sergio Moro, o nosso paladino da justiça!

Mas o povo reempossou a Dilma, com o apoio dos bolsistas, dos sem terra agraciados com privilégios governistas, dos sindicalistas apadrinhados, e, acima de tudo, os votos fraudados nas urnas da Smartmatic, sem falar na força dos "isentões", sempre em cima do muro, que se calaram beneficiando a chapa do PT, e agora reclamam da legitimidade do vice, que teve os mesmo votos da presidente. Quem segue as leis não tem nada a Temer! A população tem que fiscalizar seus representantes no Congresso!

Querem rasgar a constituição, preferem o caos de uma nova eleição fora de época, com candidatos viciados, sem representatividade popular. O sonho deles é que em uma disputa entre Lula e Bolsonaro, ganhe a Marina Silva contra o Aécio. Mas nenhum destes merece o nosso voto! Os dois primeiros extremistas, duas faces da mesma moeda autoritária, e os demais, verdadeiras nulidades, 
representantes dos políticos oportunistas, um defensor das oligarquias e a outra do Foro de SP.

Se a votação na Câmara foi uma vergonha pelo baixo nível dos deputados, a culpa é de quem os elegeu. A lei eleitoral, que fez pouco mais de 30% dos votados serem eleitos, os demais foram "puxados" pelas suas legendas. Existe legitimidade nisso? E os que pedem pelo afastamento do Cunha, o que acham da atuação de Renan no Senado? Reclamam das posições de Gilmar Mendes no Supremo, e se calam com as atitudes de Lewandowski, Marco Aurélio, Toffoli, Barroso, Teori, Rosa, Fachin, sendo a favor da organização criminosa está tudo OK?

Enfim, o país venceu uma batalha, mas a luta continua, não dos petistas verborrágicos, movidos pela mortadela, mas dos verdadeiros brasileiros, contra o golpe que os comunistas tentaram impor à nossa nação. Mas o Brasil vai sair vencedor e fortalecido em sua incipiente democracia, com a maior participação do povo nas decisões políticas, e, principalmente, votando com mais consciência nas próximas eleições.

28.3.16

Trading or Politics?

Quem diria, depois dos comunistas do Leblon, da esquerda caviar, ainda existem os socialistas de Mercedes... Benz - ou Malz, também pode ser um Audi, BMW, talvez um Porsche, o importante é andarem de carro importado, ou passeando em barcos, sentindo-se como parte da malta intelectual moderninha, porém, aproveitadora dos luxos do capitalismo selvagem! 



Direita nem pensar, muita gente não sabe o que é, nem viveu isso. Mas uma bolsa-papai, mamãe, ou de qualquer membro da família, sempre ajuda os novos revolucionários. Mesmo que o dinheiro venha do PT, roubado do povo. 



Pobres dos que aprendem por jornais tendenciosos, através de missivistas comprados, falsos gurus, supostamente formadores de opinião, daqueles que não estudaram muito história, e mal sabem a diferença entre Napoleão, Hitler, Fidel, Pinochet, ou Che Guevara. 
 

Enfim, nem sabem em que vara (federal) está lotado o Sergio Moro, o "inimigo" da democracia, violador do estado de direito. Bah, que preguiça... vamos em frente! Esta semana deve ser agitada. O medo é um japonês (que não seja o entregador de sushi) bater à sua porta. Toc-toc-toc... alguém em casa? Caiu na Rede é peixe. Ou então fugiu do PT... mas o PT nunca vai sair de você! Jo no soy marinero, soy capitan...

7.3.16

Convocação geral: dia 13/03 em todo o Brasil

O povo brasileiro tem todos os motivos para reclamar da presidente reeleita para um segundo mandato: ela destroçou estatais, gastou recursos vitais em várias obras superfaturadas dispensáveis, como estádios para Copa do Mundo de futebol, negligenciou os serviços básicos na saúde, educação, transporte, segurança, sucateou a indústria, quebrou o comércio, acabou com os investimentos em infraestrutura, perdeu a governabilidade no congresso, fez inúmeros discursos estapafúrdios e sem sentido, mentiu, reduziu o país a um anão diplomático em política externa, são muitas razões para pedir seu afastamento... mas pelo menos UM "grande legado" ela vai deixar: 

A lei 12.850, sancionada em 2 de agosto de 2013, que instituiu a colaboração premiada e os acordos de leniência foi aprovada pela presidente sem vetos, sendo defendida até pelo PT na ocasião, quando os governantes sentiram-se pressionados pelos protestos que levaram milhões de pessoas às ruas em junho daquele ano. Esta é mais uma prova do poder que a população tem para cobrar de seus representantes ações em benefício da nação.

Conforme ficou estabelecido, a lei prevê detalhes que fazem da delação apenas um instrumento do processo investigatório. Ou seja, é preciso ter provas. A legislação garante que nenhuma sentença condenatória poderá ser proferida com fundamento apenas nas declarações. Para aqueles que comprovadamente ajudem, a lei pode prever o perdão judicial, a redução em até 2/3 da pena privativa de liberdade ou a substituição da prisão por medida alternativa, e mesmo que uma delação premiada não seja homologada pela Justiça, o conteúdo apresentado pelo delator não é descartado, podendo fazer parte de outras investigações.

Enfim, esta vai ficar na conta da mulher sapiens, aquela que estoca vento, a cultuadora da mandioca, a nossa famosa mosquita (sic)!!! E dia 13/03 vamos todos manifestar nosso agradecimento pela sanção desta lei anticorrupção, e enquadrá-la exatamente nos termos do que ela fez pelo Brasil, exigindo seu afastamento imediato, até que toda chapa venha a ser cassada no TSE, seu partido extinto, e novas eleições sejam marcadas para que candidatos idôneos disputem um pleito sem fraudes!

O Brasil pode vencer a guerra, com o trabalho deste "tripé" formado pelo juiz Sergio Moro, a força-tarefa do Ministério Público, e a Polícia Federal. Mas eles precisam do nosso apoio explícito neste domingo. Não podemos decepcionar aqueles que estão arriscando suas vidas contra esta organização criminosa para promover um futuro melhor aos nossos filhos!

TODOS NA RUA NESTE DOMINGO 13 DE MARÇO

20.2.16

Brasil: quem te viu, quem te vê, como nunca deveria ser

O que aconteceu com a cadeia produtiva? Então, os juros diluídos em prazos a perder de vista induziram a população a consumir além de sua capacidade de endividamento, e agora a inadimplência aliada à falta de novos compradores fizeram com que redes de varejo fechassem suas portas e milhares de comerciantes encerrassem suas atividades. 

Até os prestadores de serviços estão trabalhando no limite, sufocados pela absurda carga tributária, principalmente no que se refere às obrigações trabalhistas.

As fábricas nacionais de produtos acabados - como as de linha branca, seduzidas pela isenção de impostos, expandiram linhas de montagem e também não têm mais para quem vender; a nossa indústria de transformação perdeu clientes fortes com a desaceleração no crescimento de economias emergentes e dá sinais de que não vai conseguir honrar seus compromissos, sendo obrigada a encerrar suas atividades... quem diria que uma gigante como a Usiminas poderia estar na iminência de acabar? Sem falar na precária infraestrutura do país, onde estradas, ferrovias e portos são jurássicos, e as obras que interessam ao governo são apenas construções que têm potencial para gerar propinas!

Salvar-se-iam a agricultura e pecuária, não fossem os desmatamentos de florestas para criação extensiva de gado, o uso de defensivos que estão envenenando as lavouras, e a disseminação de alimentos transgênicos, com sementes modificadas em laboratórios. Sem falar na concentração do setor nas mãos de poucos "amigos do poder". Mas o Brasil sempre foi exportador de commodities. Pois é, quem diria que os maiores produtores de matérias-primas, tais quais responsáveis pela exploração do minério de ferro e prospecção de petróleo, estariam com dificuldades para manter saudáveis seus fluxos de caixas. O Rio Doce ficou enlameado, a Vale em maus lençóis, e a Petrobras serviu como fonte de recursos para campanha de um partido que, ao invés de representar o país durante o seu período de mandato, confundiu o conceito de governo com União!

Moral da história: em uma nação de ignorantes poucos lembram que a definição de setores primário, secundário e terciário faz parte da grade curricular nas aulas de geografia do ensino básico. Enfim, está tudo quebrado, os únicos que continuam ganhando - como sempre - são os bancos, e o sistema financeiro aliado ao poder. Assim sendo, aqui jaz... o Brasil.

18.1.16

Mercado é soberano

Não adianta torcer, isso não é igual ao futebol... o que funciona é aplicar a técnica para obter melhores resultados nos investimentos.

Bolsa de valores é apenas mais um mercado.

A grande vantagem da renda variável é permitir operações tanto na compra como na venda. Seja com ações, seus derivativos, ou negociando índices. Mas é preciso acertar o timing. Para os mais conservadores, que só compram papeis e vivem dos dividendos, a perda de valor nas cotações pode penalizar bastante a contabilidade da carteira. Já quem é mais ativo, deve acompanhar de perto as oscilações dos gráficos e alternar posições conforme a tendência.

O fato é que ela sobe e desce... sem falar nas vezes em que fica de lado!




17.1.16

Calça de veludo ou short?



Ontem fui ao cinema assistir "A grande aposta"... o título original em inglês faz um trocadilho (The big short... ao invés de "shot" = tiro), no sentido de que alguns poucos visionários, jogando contra a tendência, resolveram apostar na queda - indo além, na QUEBRA - do mercado imobiliário americano. Daí o termo "short", que significa "operar vendido". A história é real, apesar de algumas doses de ficção, inclusive declaradas durante o desenrolar da trama. Mesmo assim, tudo é facilmente compreensível para os que não são profissionais de mercado, ou pouco familiarizados com o funcionamento no mundo dos investimentos. Recomendo a todos, como uma maneira de entender a mecânica do sistema financeiro.

Uma enorme fraude, um meio manipulado, movido por dinheiro virtual, influenciado por questionáveis agências de avaliação de risco, "players" inescrupulosos, banqueiros "selvagens", onde tudo gira em torno do lucro... deles, obviamente, em detrimento dos prejuízos de pequenos investidores, da desgraça de pessoas comuns que não têm conhecimento sobre como proteger seus bens, de gente que depende do emprego, que não faz reserva de capital, e corre o risco de ser demitida sumariamente a qualquer momento, perdendo a maior fonte de recursos, de incautos que compram bens financiados sem noção do quanto pagam em juros!

Como entretenimento o filme é um bom programa, de certo modo até educativo. Quem viveu a crise das "subprimes", que causaram perdas de incontáveis propriedades retomadas pela inadimplência das hipotecas, vai perceber como tudo aconteceu nos EUA. E pela experiência vivida por pobres coitados seduzidos pelo sonho da casa própria, sem possuírem, entretanto, lastro para alavancagem do patrimônio, é possível projetar o que será do Brasil em um futuro próximo, caso esta mesmo política monetária seja mantida por mais alguns anos.

É totalmente insustentável a economia de um país onde os gastos públicos, despesas com pessoal, custeio da máquina, e aposentadorias do funcionalismo consumam a maior parte da riqueza produzida. Então... por que falo isso? Pelo que estudei durante muito tempo, pelo histórico que vivenciei por anos, compartilhando pesquisas, oferecendo suporte técnico, promovendo cursos e treinamentos financeiros, contribuindo para que vários amigos defendessem seu dinheiro da crise que se anunciava antes mesmo de 2008, quando a bolsa bateu suas máximas. Mas ninguém está livre de perdas, inclusive os ferreiros que têm em casa espetos de pau!

Pois é... faz tempo que não publico aqui, a frequência foi diminuindo pelo desânimo. Uma ação da Petrobras cotada abaixo de R$6, o Ibovespa de volta à casa dos 30 mil pontos... basta consultar as postagens mais antigas desse blog para atestar tudo. Os registros são as provas materiais do que estou escrevendo... uma busca nos posts das páginas anteriores pode ser surpreendente. Até a próxima, quem sabe ano que vem as coisas melhorem!  ^v^